Academia

Acompanhe informações, notícias e tudo de mais importante sobre o mercado.

Porque empresas que enviam suas obrigações ao Fisco ainda não operam em conformidade?

A burocracia fiscal brasileira, como se sabe, é alarmante e, segundo dados da OCDE, é a maior do mundo em matéria de complexidade nos processos de pagamento de impostos. Para elucidar este cenário, basta pensar que uma empresa de grande porte entrega hoje cerca de 1.200 obrigações mensalmente, dentre elas: EFD, ECD, ECF, Sintegra, Sintegra ST, DCTF, DIRF,DIPJ, DACON, apenas para citar alguns exemplos.

Mas não são somente as gigantes que sofrem com a complexidade tributária do país. Todo o movimento de modernização do Fisco teve como uma das consequências o fato de que todas as obrigatoriedades passaram a ser entregues de forma digital. Em consequência disso, todos os mecanismos de fiscalização e cruzamento de informações passaram a ser mais sofisticados (tanto no âmbito das grandes, quanto das pequenas e médias empresas).

Apesar de toda esta complexidade, dificilmente vamos encontrar em alguma companhia, dentro do setor fiscal e tributário, um colaborador responsável somente por conferir cada um desses documentos que são enviados ao Fico mensalmente. O tempo dele será dividido com as demais tarefas pertinentes ao cargo. E é exatamente neste ponto que mora o perigo para muitas empresas: mesmo aquelas que entregam todas as obrigações ao Fisco correm o risco de não operar em conformidade e o motivo é a falta de validação das informações que são entregues.

É comum que tais organizações contem com sistemas de gestão fiscal, porém, além disso, é fundamental uma preocupação sobre se o que será entregue está de acordo com as normas. É com esse viés que funciona o MultiAudit, software desenvolvido pela TaxWeb.

O objetivo da ferramenta é validar arquivos e informações antes que sejam enviados ao Fisco. Sua utilização é ilimitada, possibilitando uso para cruzamentos dos mais diversos dados, além de todos os relatórios fiscais e contábeis utilizados no dia a dia de uma organização.

O MultiAudit surgiu de uma percepção da TaxWeb, e não apenas devido ao advento do “cenário SPED”, no qual todas as obrigações são entregues e analisadas de forma digital. Neste sentido, a expertise atrelada a solução vem desde o início dos arquivos eletrônicos, como IN86, IN100 e SINTEGRA.

Tais informações servem para demonstrar que o MultiAudit carrega consigo uma base de conhecimento advinda de uma equipe qualificada, experiente e capaz de entender as minúcias do sistema tributário brasileiro.

Vale salientar ainda que, o atual momento de recessão econômica abre caminho para dois cenários no país: a necessidade do Fisco buscar novas fontes de receita, o que resulta no crescimento das autuações. Por outro lado, temos as empresas, que neste momento economicamente sensível, buscam alternativas para compensação de tributos.

O PERDCOMP, Programa de Pedido Eletrônico de Ressarcimento ou Restituição e Declaração de Compensação, neste cenário de crise, é uma boa alternativa para tal compensação, uma vez que o contribuinte pode solicitar restituição de quantias recolhidas a título de tributo ou contribuição administrado pela RFB e o MultiAudit pode auxiliar empresas em todo este processo.

Outro ponto em que o MultiAudit se destaca diz respeito ao cruzamento de informações da Guia de Informação e Apuração do ICMS e ST (GIA). Ao passo que a eliminação da GIA é algo muito aguardado pelos contribuintes e considerado como importante avanço na unificação e uniformização das informações, o fato é que muitos estados ainda exigem a entrega da obrigação. Logo, cruzar informações das GIAs é uma funcionalidade essencial que visa zelar pela qualidade das informações nas Apurações de débitos e créditos do ICMS.

Por fim, diante de nossa observação do mercado, percebemos que fatores como a entrega de obrigações com valores inconsistentes, declarações incompletas ou até mesmo nulas fazem parte do hall de falhas mais comuns cometidas por organizações dos mais diversos portes. O papel do MultiAudit, neste sentido, é evitar a ocorrência destes casos e os consequentes prejuízos fiscais advindos de tais falhas. Um exemplo de como isso ocorre se dá no seguinte contexto:

O Multiaudit valida, de modo simultâneo, a EFD e também a GIA. Sendo assim, se eu declarar na EFD R$10,00 e na GIA R$15,00, o MultiAudit vai apontar essa inconsistência. Sem a ferramenta, a tendência é que diferenças menores como essa passem despercebidas, fazendo com que sua companhia possa ser autuada pelo FISCO.

Em momentos de instabilidade, como o que vivemos em diversos âmbitos da sociedade brasileira, é crucial que as empresas evitem uma nova dor de cabeça com questões fiscais. O Multiaudit, surge como um aliado dos negócios nesta batalha diária.

Comentários
Deixe seu Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *